Total de visualizações de página

segunda-feira, 13 de junho de 2016

GALERIA DOS PASTORES DA IGREJA PRESBITERIANA DE DRACENA (1959-2016):

Rev. Anatote Lopes da Silva (2011 - atual pastor)

Rev. Mario Teles Maracci (2009-2010)

Rev. Deib Silva Nascimento (1994-2008)

Rev. Elton Campos (1987-1993)

Rev. Adolfo Potenciano (1981-1986)

Rev. Vitorino Joaquim Pinto (1980)

Rev. Max Ricci Zeugner (1978-1979)

Rev. Luiz Raimundo da Silva (1977)

Rev. Pedro da Silva (1976)

Rev. Dirceu Xavier de Mendonça (1974-1975)

Rev. Oswaldo Dias de Lacerda (1973)

Rev. Floramante Dias Gonçalves (1971-1972)

Rev. Oswaldo Dias de Lacerda (1968-1971)

Rev. Delfino José Corrêa (1966-1967)

Rev. Uzi Murback (1964-1966)

Rev. Oswaldo Dias de Lacerda (1959-1964)


COISAS NOVAS E COISAS VELHAS: A CELEBRAÇÃO DA ALEGRIA (PARTE 1)

COISAS NOVAS E COISAS VELHAS: A CELEBRAÇÃO DA ALEGRIA (PARTE 1): Por Anatote Lopes “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto...

sábado, 12 de dezembro de 2015

COISAS NOVAS E COISAS VELHAS: O SENHOR VEM!

O SENHOR VEM!
Por Anatote Lopes

Esta chegando o natal!  Mesmo não estando de acordo com tudo o que se faz em nome do natal, eu não sou anti-natal... Leia mais: COISAS NOVAS E COISAS VELHAS

COISAS NOVAS E COISAS VELHAS: ANUNCIE A BOA NOTÍCIA!

ANUNCIE A BOA NOTÍCIA!
Por Anatote Lopes

Gostamos de receber boas notícias; mas, as más notícias parecem que são mais atraentes. Uma má notícia agita e toma um... Leia mais: COISAS NOVAS E COISAS VELHAS

COISAS NOVAS E COISAS VELHAS: PARA QUEM PRECISA DE ELOGIO E TAPINHA NA COSTA

PARA QUEM PRECISA DE ELOGIO E TAPINHA NA COSTA
Por Anatote Lopes

Não é bom saber o que pensam de ti. Da minha parte eu não me arrisco perguntar. Nem mesmo os martires tiveram a sua... Leia mais: COISAS NOVAS E COISAS VELHAS

COISAS NOVAS E COISAS VELHAS: RESPLANDEÇA ESTA LUZ! – LEIA: JOÃO 5.30-47.

RESPLANDEÇA ESTA LUZ! – LEIA: JOÃO 5.30-47
Por Anatote Lopes

Uma estrela apareceu no céu e iluminou o caminho daqueles magos para o encontro com o nosso Senhor. (Mateus 2.2). ... Leia mais: COISAS NOVAS E COISAS VELHAS

terça-feira, 20 de outubro de 2015

domingo, 30 de agosto de 2015

O DIA DO SENHOR E DA FAMÍLIA

Por Anatote Lopes


É na família que o evangelho começa a ser praticado para posteriormente ser vivido e anunciado no mundo pelos pais e filhos crentes.

Os pais crentes são o exemplo de fidelidade a Deus dos filhos, seus primeiros mestres da obediência a fé. Quando ensinam aos seus filhos, desde cedo, primeiramente, pelo exemplo, como convém guardar o Dia do Senhor, formam discípulos maduros de Cristo, ensinando-os ir à igreja de Deus para ouvir a sua Palavra e adorar o Criador.

Depois do quarto mandamento surge o dever de honrar aos pais, o quinto mandamento e o único com promessa. Pais fiéis ao quarto mandamento serão honrados por seus filhos obedientes a Deus. Pais que não concordam com a guarda do Dia do Senhor, quarto mandamento, não deveriam concordar também em serem honrados e respeitados por seus filhos, o quinto mandamento.

O ensino do quarto mandamento exige priorizar o espiritual em vez do material, o devocional em vez das diversões e jamais trocar um dia de culto por um dia de recreação ou de trabalho.

Enfim os filhos aprendem a honrar e respeitar a Deus. Mas, o afrouxamento deste princípio leva à consequente frouxidão da moralidade e a corrupção dos costumes, trazendo consequências sobre a família: crescimento do divórcio, êxodo dos filhos da igreja para as seitas e ateísmo, imoralidade e criminalidade. A crença no Deus de seus pais, a quem não vale a pena dedicar tempo, mais cedo ou mais tarde será abandonada.

domingo, 5 de julho de 2015

TEMAS POLÊMICOS DA SEMANA

Por Anatote Lopes

Temas Polêmicos: 1. Casamento Homossexual

A aprovação do casamento homossexual pela Suprema Corte dos Estados Unidos e da redução da maioridade penal pela Câmara Federal do Brasil foram os temas que dominaram os noticiários e efervesceu o debate nas redes sociais da internet durante esta semana.

Muitas pessoas, espontaneamente, tiveram a ideia de se identificar com a cruz, em protesto contra a apropriação que fizeram do arco-íris nesta ocasião em que, o Facebook disponibilizou o recurso comemorativo de colorir a foto do usuário com as cores do arco-íris, para quem quisesse comemorar a decisão para todo território americano.

Algumas pessoas usaram como protesto a sombra da cruz, no lugar das cores do arco-íris. Essas pessoas não se conheciam, mas, tinham em comum a mesma fé e princípios bíblicos, tiveram a mesma atitude de repudio à decisão contrária a natureza e a revelação de Deus, da sua criação e propósito, como pessoas que vivem à sombra da cruz, importam-se com a sua mensagem e se sentem desafiadas a perseverar diante das pressões e ameaças para calar o testemunho do Evangelho que, pode ser lembrado ao olhar para a Cruz.

Cristãos e cristãs intensificaram o testemunho e o posicionamento contrário à nova moralidade para lembrar que o mesmo Crucificado ressuscitou e vive, e, continua chamando os pecadores ao arrependimento e perdão de seus pecados, pelo mesmo Evangelho pregado por Jesus Cristo e seus apóstolos: um Evangelho Libertador, Transformador e Salvador de todo aquele que nele crer.

Três perguntas deveriam ter sido feitas pelos cristãos antes de colorirem com as cores do arco-íris a sua foto de perfil com o recurso disponibilizado pelo Facebook.

Primeiro: como um cristão pode ter algum motivo para comemorar uma decisão anticristã? Segundo: a agenda do movimento LGBT e suas conquistas podem ser apoiadas, patrocinadas ou incentivadas por pessoas cristãs? E, por último: qual base bíblica um cristão pode encontrar para apoiar e comemorar o casamento entre pessoas do mesmo sexo?

Obviamente, o cidadão ou cidadã homossexual tem seus direitos e deve ser respeitado como tal, logicamente, independe de suas escolhas; deve ser também amado como Cristo nos amou e morreu por nós na cruz, sendo nós ainda pecadores (Rm 5.8). Contudo, não deve ser aplaudido e apoiado em função de suas práticas reprováveis. Aprovação não é demonstração de amor. A maior expressão de amor dos alcançados ao mundo é feita pela pregação do Evangelho.

Nos ensinamentos de Cristo, no Novo Testamento aprendemos que, “o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher para serem os dois uma só carne”; sendo esta união heterossexual que Deus aprova (Mt 19.4; Mc 10.7; Ef 5.31).

No primeiro capítulo da carta aos Romanos, em outras cartas e em Apocalipse a Bíblia ensina com toda clareza que esses casamentos são pecaminosos. A Bíblia prescreve no Antigo Testamento que o casamento é entre um homem e uma mulher (Gn 2.24) e condena severamente o homossexualismo como uma abominação (Lv 18.22). Não há motivo para um cristão comemorar o que Deus reprova e condena em Sua Palavra. Que os seres humanos se abstenham de toda sorte de relações sexuais ilícitas, e, também convém, reprová-las. (Rm 1.31).


Temas Polêmicos: 2. A Redução da Maioridade Penal

A segunda polêmica da semana foi o Projeto de Emenda Constitucional, de autoria do então deputado, pastor Benedito Domingos, apresentado faz 22 anos (PEC 171/93). A sua fundamentação é a Bíblia. A PEC propõe a imputabilidade de crime aos menores que, reduz a impunidade; fundamentada em Ezequiel 18 que trata da responsabilidade pessoal dos filhos sem distinção de idade.

A solução para o crime é uma coisa e a punição é outra. O que se propõe com a redução da maioridade penal é que os crimes praticados por menores sejam punidos. Essa lei encontra o problema da superlotação dos presídios e sua ineficácia no combate ao crime. Mas, o que precisamos perguntar antes de apoiar uma proposta de redução da maioridade penal?

Primeiro, como cristão, se de fato ela encontra bases bíblicas, pois ainda que o Estado seja laico, nós não somos, e, a Bíblia é uma fonte inspiradora de leis justas, ela é a Palavra de Deus, mesmo que discordem. Segundo, o dever do Estado solucionar os problemas para a aplicabilidade destas leis.

A redução da maioridade penal tem sido rejeitada e nada mudou até hoje; quanto aos crimes praticados por menores, só piorou; então o argumento da experiência de medidas alternativas a ela fracassou. Permanece sem solução o problema levantado no passado; nestes vinte dois anos no Congresso e acontecendo crimes hediondos, como os estupros, torturas e sequestros praticados por menores de dezoito anos ficando impunes.

Nos últimos dez anos os indicadores do desenvolvimento da educação básica despencaram e a ocorrência de crimes hediondos praticados por menores subiu assustadoramente. Sem a redução da maioridade penal ou com ela, também não se chegou à solução.

Para muitos a ocorrência destes crimes é devido à falta de políticas públicas de combate a pobreza e as desigualdades de classe e de raça; esse argumento considera que estes crimes sejam praticados, em sua maioria, por pobres e negros. Mas, mesmo em países socialmente mais justos e igualitários, com um desenvolvimento na educação muito maior do que o nosso, os menores também praticam tais crimes com frequência, porém são aplicadas punições ainda mais severas, chegando a pena de morte, principalmente contra crimes hediondos por eles praticados.

O mito de que as punições atingem somente a pobreza, os negros e os mulatos é construído pelo preconceito, pela ignorância, pelo vitimismo e pelo racismo por trás do discurso de defesa dos direitos humanos. Biblicamente, o crime é uma consequência da queda, Caim foi o primeiro homicida e não pôde culpar ao seu irmão, o justo Abel, cujo sangue recairá sobre todo homicida (Hb 11.4).

Com a aprovação da maioridade penal, as coisas podem continuar piorando; as desigualdades sociais, a ausência de políticas públicas para a infância e a falta de investimento na educação básica vão continuar sendo invocadas pelos políticos como bandeiras populistas e eleitoreiras. Os crimes de corrupção no Governo ainda não têm leis rígidas aprovadas e sendo aplicadas; esse tipo de impunidade deveria estar sendo combatido primeiro.

segunda-feira, 30 de março de 2015

IGREJA PRESBITERIANA DE DRACENA, 56 ANOS


Introdução

A Igreja Presbiteriana do Brasil tem mais de 150 anos no Estado de São Paulo. A Igreja Presbiteriana de Dracena é uma igreja autêntica, reformada, moderna e transformadora, herdeira do ministério e do martírio dos apóstolos e dos primeiros cristão, “Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos, a Comunhão, ao Partir do Pão e às Orações.” (Atos 2.42).

Como igreja presbiteriana no Brasil desde 1859 pregando o evangelho em Dracena, São Paulo, fazendo discípulos de nosso Senhor Jesus Cristo, celebrando os sacramentos por Ele ordenados e orando de casa em casa e de cidade em cidade, no Oeste de São Paulo.


Plantação

A Igreja Presbiteriana do Brasil começou com o trabalho pioneiro do Rev. Oscar Chaves em 1943, missionário da Junta de Missões Nacionais no campo de Adamantina até o Rio Paraná, sediado em Lucélia. O fenômeno do crescimento da “Cidade Milagre” fez com que em 1954 a Junta de Missões reestruturasse o trabalho no interior e transferisse a sede do campo para a cidade de Dracena.


Organização

Em 25 de Outubro de 1959 foi organizada a Igreja Presbiteriana de Dracena tendo como pastor o Rev. Oswaldo Dias de Lacerda. A evangelização do interior do Estado de São Paulo já havia colhido muitos frutos da obra missionários, irmãos e irmãs pioneiros que aqui chegaram, tornaram-se lideranças locais do longínquo oeste então ligado à Capital pela estrada de ferro, tornou-se então, a sede da microrregião de Dracena, na região de Presidente Prudente que, passou a ser denominada de Nova Alta Paulista.


Tendência Atual

Desde 2011 pastoreada pelo Rev. Anatote Lopes da Silva. A comunidade recebeu novo ânimo e unidade para a adoração e realização de seus projetos para a glória de Deus.


Escola e Culto Dominical

O cumprimento da grande comissão é reunir adoradores. A ênfase da ordem está em “fazei discípulos”. Todos os domingos às 9 horas a igreja se reúne para a Escola Dominical; conta com professores, departamento infantil bem equipado e emprega tecnologia digital na apresentação dos estudos para jovens e adultos.
O Culto Dominical é oferecido a Deus às 19 horas e 30 minutos com ordem e decência, liturgia reformada e Palavra transformadora, espontaneidade, quebrantamento, confissão e adoração.


Ações de Evangelização e Missão

A Igreja promove ação social sob supervisão da Junta Diaconal, desenvolvimento humano e profissional, nutrição, inclusão social e digital de crianças e adultos e educação como ações de evangelização.

Um dos braços sociais da Igreja é o Projeto Esperança, com mais de 20 anos em atividade nas dependências da Igreja desde a sua fundação em parceria com a APE.


Liderança

O ponto forte da liderança local é a renovação: jovens pastores e presbíteros buscando soluções; corpo de oficiais diáconos cooperando para mudança e conscientizando a comunidade para fazer análise crítica do processo e contribuir com propostas para melhorias e aprimoramento estratégico.


Missão e estratégia

Nosso Senhor Jesus Cristo que nos deu a missão (Mateus 28:18-20). Fazemos tudo para a glória de Deus. Trabalhamos para o crescimento e saúde física e espiritual de todos, pela unidade da Igreja e da Família, pelo crescimento da Igreja e do Evangelho do Reino de Deus, desenvolvimento e transformação do ser humano, pela pregação da Palavra de Deus.

A visão e estratégia da Igreja são coerentes com os seus valores e as suas características: uma Igreja Autêntica, Reformada, Moderna e Transformadora. Esta igreja adora, evangeliza, cuida dos pobres e necessitados, vive em comunhão, educa pela Palavra de Deus e ministrada aos corações para promover a transformação dos seres humanos em todas as áreas da vida.


Características Missionárias

A Igreja Presbiteriana de Dracena nasceu de missões e para missões. A SAF (Sociedade Auxiliadora Feminina) é uma organização interna de mulheres da igreja que, ora, evangeliza, educa e promove ação social. Distribui chá e literatura evangelística na Santa Casa (Hospital Local) uma vez por semana. Coopera na assistência às famílias e conta com a simpatia da comunidade pelas obras que realiza.


Plantação de Novas Igrejas

A Igreja Presbiteriana de Dracena investe na plantação de duas igrejas, sendo uma congregação em Panorama e um ponto de pregação em Junqueirópolis, São Paulo; colabora financeiramente com a JMN – Junta de Missões Nacionais e a APMT – Agencia Presbiteriana de Missões Transculturais que, estão plantando igrejas presbiterianas no Brasil e no Mundo.


Relacionamento Comunitário

A Igreja presbiteriana de Dracena é a família e o corpo de Jesus Cristo; uma comunidade formada de irmão e irmãs inseridos e prestigiados na comunidade local. A Igreja é considerada importante para a sociedade e atuante em todas as áreas, sem perder o foco da sua missão.


Oportunidades

A Igreja é um corpo composto de pessoas inteligentes, acolhedoras, competentes, talentosas e ativas, leva o evangelho com música de qualidade, pregação fiel, engajamento e compromisso, realizam um lindo trabalho e serviço cristão, sinaliza vida e continua revitalização; está vencendo os novos desafios, refletindo e praticando novas ideias a luz da Bíblia, permanece fiel aos seus princípios confessionais e cumpre seu propósito de glorificar a Deus.


Conscientização

Nos próximos anos juntos, vamos construir um estúdio, participar mais no rádio e outras mídias, promover eventos maiores, acolher e receber mais membros em nossa igreja, e, para isso, devemos estar sempre prontos e preparados.


Reflexão

Cremos no poder de Deus, temos uma teologia bíblica, uma igreja linda e o Evangelho que o mundo precisa crer para salvação. Essa missão é nossa! Deus nos ordenou para isso e nos capacitou para esta obra. Essa missão é sua também, abra o seu coração para novos conhecimentos, estratégias e propostas; para o apoio e participação como novos membros, irmãos e parceiros neste projeto de Deus para nossas vidas, Famílias, Igreja e comunidade. Se você um dia se arrependeu de seus pecados e entregou a sua vida a Jesus Cristo que, morreu na cruz por você, remiu os teus pecados e te deu Nova Vida, você faz parte desta história. Venha para a Igreja Presbiteriana de Dracena.